Tuesday, October 04, 2011

Desejo do dia....Mudar

Eis que eu consegui!
Depois do pedido feito, do aceite... estamos nos preparativos para o grande dia!
Vestido, festa, lista de convidados, lista de presentes....
O convite ficou pronto!! EBA!!
E eu dei um fora!!
Por quê?? Por quê eu faço isso??
Eu estou atingindo meus objetivos.
Já mudei tanta coisa em mim.... por que esta ainda me persegue?

Eu não posso falar o que quero, no tom que quero. As pessoas escutam, as pessoas magoam...
e eu sei que eu estou errada.

Agora, neste momento em que escrevo eu estou morrendo de medo!! que:

- ele tenha ouvido
- ela tenha se chateado com o que falei (e eu não tiraria a razão dele, eu fui má)
- ele leve esse assunto amanhã...

se eu vou dormir? É claro que não.
E eu sei que isso não vai resolver nada. O que resolveria era... eu mudar!!

E hoje, neste dia 05/10/11 - às 00:41 eu firmo aqui o compromisso de:
- ser simpática e sincera com a mãe dele
- dar atenção à ela
- me preocupar com ela de todo o coração, afinal ela é a mãe dele
- me comunicar mais com ela
- não julgá-la
- ser compreensiva
- ficar contente quando for visitá-la
- ser eu mesma quando estiver na presença dela

Se ainda der tempo - pois hoje eu estou desesperada (novamente) pelo comentário que fiz e ele pode (e eu espero com todo meu coração que ele não tenha escutado)  - estou com medo.

Medo da consequencia de um ato exclusivamente MEU!!

Começarei esta noite. Vou ouvir o audio da agressividade, em seguida de harmonia no relacionamento e - todos os dias - eu quero dizer todos os dias mesmo - passar 5 minutos pensando em como eu quero me relacionar com ela.

Isso é bom para mim. É bom para ela. Bom para o meu relacionamento. Bom para o meu futuro.

Sei que tenho muito o que aprender, mas se não mudar certas atitudes imediatamente... poderei colocar tudo a perder.

E quem tem a perder com isso?  EU!!!

Este blog: "o que eu quero"

O que eu quero? MUDAR.
Me tornar uma pessoa mais dócil. Eu estou no caminho, já deixei aquela pessoa cheia de melindres, quase intratável, mas ainda há o que fazer. Faça antes  que seja tarde.

Tuesday, March 08, 2011

A partir de hoje

decidi que sou uma pessoa diferente.
Sou uma pessoa melhor.
Escolho e domino meus pensamentos.
Minhas ações são bem controladas, decididas previamente pela minha mente alerta e atenta.
Minhas palavras são sempre voltadas para o bem, e bem intencionadas também.
Caso algo me entristeça, logo penso melhor, analiso a situação e vejo se algum mal entendido não tenha acontecido. E, caso tenha acontecido, rapidamente trato de resolver a situação.
É desta maneira que devo agir!
É desta maneira que ajo.

Sunday, February 27, 2011

o fim de semana chegou ao fim

E agora, não consigo dormir, minha cabeça não se aquieta.
Meu coração dispara, fico sem ar... sinto um aperto em meu peito. Me desespero e só choro.


Preciso me acalmar. A gente combinou de se ver na quarta à noite, para eu dormir lá, parace que tudo está tão bem eu eu ...


pq eu fico assim?

pq parece que o mundo está acabando?

aconteceu de novo

E desta vez foi numa conversa séria. Queria transcrever o diálogo aqui, mas eu comecei e ficou ruim, não consegui colocar as frases na ordem cronológica e ficou estranho. Mas foi assim.
Ele queria saber qual seria a reação dos meus pais caso eu ficasse grávida por agora, antes da gente casar ou morar junto.
Disse que não sabia, mas que eu jamais daria essa notícia morando na casa deles, primeiro eu sairia de casa, depois daria a notícia. Que eu venderia meu carro, dava entrada num apto e, com um lugar certinho, aí sim poderia passar a notícia adiante.
Perguntou se eu casaria caso isso acontecesse. Fui categórica, disse que não, que sempre ficaria a dúvida se foi por mim ou pela gravidez.
Perguntei pq ele estava falando isso, ele disse que eu estava num período fértil (mas eu estou tomando remédio regularmente - aliás nisso bem regrada), e que achava que poderia acontecer.
Falei que não tinha perigo, que a segurança do remédio é bem alta, ele disse que não, que não era assim tão eficaz (cerca de 85%).
Dormimos a noite toda juntos (meus pais estão viajando, assim não nos preocupamos com horário) e, no dia seguinte, acordei com uma manada atrás da orelha.
Pensei no diálogo, no que poderia ser extraído do que eu disse, do que ele disse, no que ele poderia pensar sobre o que eu disse... enfim, minha cabeça trabalhou horas a fio, sem descanso e sem uma conclusão. Somente elocubrações.
Aqui vão algumas delas: o que ele deve ter pensado quando eu disse que compraria um ap e moraria em São Paulo: que eu não estou muito aí para ele, se é o pai... sinto muito, vou-me embora. O que eu realmente quis dizer: o desespero é grande e a incerteza, também. Preciso cuidar de mim. O fato é que ele não fazia parte da história que criei para mim caso isso acontecesse. Foi essa a mensagem que passei.
Como dizer a ele que não era isso?

E pq ele falou em queimar etapas? Será que é isso que ele quer? Será que pensa que eu poderia engravidar agora e, quando ele comprasse o ap fossemos morar os três? Neste caso eu teria que explicar para ele quais são os meus desejos.

Por que minha cabeça não para? Por que eu mesma me torturo desta maneira?

Thursday, February 24, 2011

Adeus

Fazia tempo que não pensava em você.


Mas há uns dias vc me veio à mente, coloquei seu nome no google – curiosidade pura – para ver se tinha alguma novidade. E que surpresa!

Você no facebook! Estranhei bastante. Você era um tanto quanto avesso a computadores, redes sociais muito mais, me lembro quando me viu no Orkut, foi um momento muito tenso (vc sabia que eu estava lá pois havia contado, mas quando viu...). Não resisti e entrei no site da sua esposa. Surpresa – não eram amigos e ela dizia “interessam-me: homens”. Caramba!

Confesso que, por um momento, tive um gostinho com essa situação. Quando terminamos, passei um bom tempo com a sensação de ser a errada da história, a má!

Pensei em quando estávamos juntos, seu ciúme doentio, as brigas horríveis que aconteciam, por telefone, na frente das pessoas... quanta vergonha! Mas isso eu prefiro esquecer.
Dois dias depois, resolvi entrar novamente no site novamente e vi seu recado a uma amiga, dizendo que a grana estava curta, a auto-estima estava curta, a solidão estava batendo e a saudade da sua filha, dilacerando seu coração. Senti suas palavras, sua dor.

Pensei no que estava sentindo. Fiquei mal. Não é porque tivemos um relacionamento completamente turbulento de duração muito mais longa do que deveria que desejo mal a você, muito pelo contrário.

Desejo que você fique bem logo, recupere sua auto-estima, fique mais tranquilo em relação à grana, tenha sua filha próxima e encontre alguém que preencha seu coração.

Mas eu preciso dizer que, pelo que te conheci, é preciso abrir um pouco sua mente, aceitar opiniões diferentes das suas. Ser menos mandão. Entender que as pessoas podem se amar, mas que devem ter vida própria, amigos próprios, sem que isso signifique traição. A confiança é a base de qualquer relacionamento. E é preciso também ter admiração.

Receba este recado escrito de coração.
Boa sorte. Fique bem.

Monday, February 21, 2011

Ansiedade

Todo fim de semana é parecido. A gente passa a maior parte do tempo juntos, é MUITO gostoso! Saímos, ficamos na casa dele, almoçamos na minha mãe, dormimos à tarde... tudo que eu quero fazer é ficar do lado dele, mesmo se for para ele assistir seriado de ficção e eu dormir. Estar ao lado dele me faz bem.
Mas chega domingo à noite e é hora de ir embora. Volto para casa, vou dormir para enfrentar mais uma semana de trabalho e longe dele. Aí, a minha cabeça começa a funcionar alucinadamente.
Penso em tudo que eu disse, e o que é pior, no que ele deve ter pensado se dei alguns 'deslizes'. Se eu o decepcionei... essas coisas. É bem ruim.
Mas é que esta semana eu fiz duas coisas das quais eu me decepcionaria se a outra parte fizesse (aí acho que eu tenho razão em ficar mortificada, pensando no que ele deve estar pensando de mim agora... e principalmente durante a semana, quando ele terá tempo de refletir, longe de mim).
1a. novamente falei da minha irmã. É um lance muito louco. Eu não aguento mais esta história. Quando ela vem me contar eu já fico mal, estou cansada desta repetição e desse negócio que não anda nem se resolve. Mas afinal, é minha irmã... mas ele, o que ele tem a ver com isso? Por que ele tem que aturar isso? Comentários, elocubrações, especulações...? Deve ser um porre ter que participar disso.
O pior é que eu sempre digo para mim mesma "não comente sobre isso, não fale nada", mas conversa vai, conversa vem e eu acabo soltando. Aí a merda tá feita!
2a. no dia seguinte, encontrei minha outra irmã no almoço, na casa da minha mãe e ela me perguntou discretamente, e aí, vc disse que ela tinha te ligado, o que aconteceu? E eu falei baixinho "a mesma coisa de sempre, já tá cansando", e ela entendeu. Em seguida me perguntou o que o filho estava fazendo lá, já que o marido e a outra filha não estavam. Novamente falei baixinho a explicação e o assunto acabou aí.
E qual é o problema disso? Para mim, a fofoca é feia! é desagradável! Eu me senti mal com a minha própria atitude, e ele viu. Acredito que tenha achado o mesmo que eu! Só que fui eu que protagonizei a cena!
Pequenas decepções estragam relacionamentos. E eu presto atenção no que faço, no que falo, e às vezes me arrependo...
Estou assim agora, e isso me causa ansiedade. Meu coração bate mais rápido, parece que fico sem ar... e não adianta fazer nada. Não dá para ficar explicando pq fiz isso, ou me desculpando porque fiz isso...
Mas sei que serão 5 dias de pensamentos pesados, cabeça cheia fazndo esforço para não pensar nisso, afinal agora que já fiz não há muito o que fazer... apenas esperar 6a. feira, quem sabe eu tenha a chance de, no final de semana, mostrar que sou uma pessoa bacana?

E agora me veio uma pergunta: será que a visão dele é como a minha? Será que o que eu fiz foi HORRÍVEL, ou ele apenas viu uma irmã em mim? Fazendo coisas que irmãos fazem?

De qualquer maneira eu acho tudo isso ruim, sim! Preciso agir de forma diferente.

Tuesday, July 27, 2010

Ressaca?

Ontem foi aniversário da Taís, comemorado no B.A. - com direito a sushi e companhia.

Muitas conversas, risadas... bebi um pouco (o de sempre), mas hoje acordei mal... estou mal.

Mas não é ressaca de bebida, aliás, neste ponto estou ótima, consegui acordar cedo, sair de SBC e ainda cheguei no trabalho às 8:00!!!

Correria no trabalho, problemas, broncas ... isso me deixou bem mal. Mas estou mal mesmo, e, agora, na hora do almoço me toquei o que aconteceu.

Foi uma história que a Taís contou, coisas que eu falei... e agora, o que me resta?
Ressaca moral!

Estou com medo do futuro a partir desta história, medo, medo, medo... Sempre o medo.

Será que ficou mal impressionado? O que passou na cabeça dele quando ouviu as histórias? O que anda pensando de mim? Decepcionado? Intrigado? Ou foi só uma história de uma garota de 18 anos...
E os comentários que fiz, que era 'nerd', etc...
Por que esta conversa? E POR QUE MEUS COMENTÁRIOS???

Agora, eu estou com raiva de mim mesma.


Tô triste!!

Tuesday, February 09, 2010

Hoje estou carente

Após um fim de semana super gostoso, ao lado dele, só curtindo, saindo, aproveitando o tempo que tínhamos para ficarmos juntos.
Planejando a viagem...

eu fico mal... desde ontem (segunda - obs. ele foi embora domingo quase sete da noite!), eu chorei, senti saudade, fiquei insegura (completamente....), mas não fiz nada. Apenas enviei o e-mail que ELE havia pedido (se bem que no final eu coloquei que estava com saudade - mas foi completamente sincero).

Hoje cedo vi uma reportagem de dois moradores de rua, viciados em crack... a moça está numa clínica de recuperação, super bem e super esperançosa, dizendo que não ve a hora de encontrar o namorado, que ele sempre deu apoio, carinho, sempre esteve ao lado dela...

em seguida, passou o moço, em outra clínica, tb bem, cheio de vontade de voltar para ela, querendo constituir família, dizendo que tudo que ele tem é ela...

amor recíproco, simples e verdadeiro...

chorei tanto hoje cedo... pq?pq essa insegurança com o moço que até agora está só mostrando que gosta de mim?